Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

23 janeiro, 2014

O uso da trigonometria nas sociedades Egípcias e Babilônicas

As bases da trigonometria que conhecemos hoje em dia foram embasadas por teorias que surgiram nas sociedades Egípcia e Babilônica. Entretanto, a origem da utilização dos cálculos trigonométricos, são desconhecidas. Contudo, o desenvolvimento de tal teoria deu-se devido a utilização da mesma nas áreas da Astronomia, Agrimensura e Navegações, por volta do século IV ou V a.C, nas regiões egípcias e babilônicas.
A contribuição do povo babilônico para com a trigonometria, através da astrologia, deu-se da curiosidade da sociedade de estudar o universo, não só por razões religiosas, mas também pela ligação com o calendário e épocas de plantio. O astrônomo Hiparco de Nicéia (180 a 125 a.C.), ficou conhecido como "o pai da Trigonometria", pois na segunda metade do século II a.C., realizou a construção do que foi tido como primeira tabela trigonométrica, onde constavam 12 livros, incluindo uma tábua de cordas, com os valores das cordas e de ângulos de 0° a 180°, com intervalos de 1° grau.

Na Antiguidade, por volta do século II, surge um astrônomo com de nome Ptolomeu de Alexandria, que gostaria através de observações babilônicas, descrever os movimentos do céu. E com isso, ele se fundamentou em algumas idéias de Hiparco, e criou a tabua trigonométrica : Syntaxis mathematica, denominado também de Almajesto ou "o maior". Portadora de 13 livros, essa é a tabela mais influente na atualidade. Ptolomeu dividiu a circunferência em 360 partes e o diâmetro em 120 partes. Algumas diferenças puderam ser notadas entre das duas tabuas. Ptolomeu, constatou através de seus cálculos, que as cordas para os ângulos, deveriam ir de 0° até 180°, com intervalos de ½ grau.

No Egito, a trigonometria tem inicio a partir do cálculo de razões entre números e entre lados de triângulos semelhantes. O Papiro Ahmes (1650 a.C.), conhecido como Papiro Rhind, é um documento egípcio que contém 84 problemas, envolvendo aritméticafrações, cálculo de áreas, volumesprogressõesrepartições proporcionaisregra de três simplesequações lineares, trigonometria básica egeometria.
Descobriu-se então, um método para encontrar a corda subtendida pela metade do arco de uma corda conhecida, o atualmente conhecido como “SENO”.


Mesmo que as principais fontes de pesquisas relacionadas à trigonometria tenham surgido nessas duas sociedades, também observamos outros grandes gênios da astrologia, astronomia e álgebra, de outras localidades, que contribuíram para que essa ciência fosse observada mais “a fundo”.

21 janeiro, 2014

Babilônia

Introdução

Há possivelmente mais de 5000 anos, achados arqueológicos apontam a existência da sociedade Babilônica. Situada na região da Mesopotâmia, esse povo tem uma contribuição histórica surpreendente, apontando aspectos de grande desenvolvimento social, econômico, político e cultural.

Arquitetura

Na arquitetura, podem ser destacado um grande nome, ninguém menos que Nabucodonosor. Este foi responsável pela construção dos Jardins Suspensos (terceira maravilha do mundo). Os jardins, na verdade eram seis montanhas artificiais feitas de tijolos de barro cozido, com terraços onde foram plantadas árvores e flores. Ele também foi responsável pelo marco histórico e bíblico da famosa Torre de Babel (um zigurate em formato de pirâmide, com aproximadamente 90 metros de altura)
Entretanto, a arquitetura babilônica quanto citada, está diretamente relacionada a Porta de Ishtar, provavelmente edificada em 575 a.C.
Com características majestosas, essa imponente estrutura de tijolos rescoberta de esmalte, tem oito portas, que eram utilizadas para a entrada na Babilônia.

Pintura

Para estes povos, era considerada como uma arte secundária, visto que, existia em função da arquitetura, servindo apenas para enfeitar as construções.  De modo generalizado, pôde se observar que esse povo preferia cores claras, mesmo que as colorações fossem vulneráveis ao tempo, eram vivas e brilhantes. Como característica, essas pinturas eram representações de batalhas, caçadas e aspectos da vida dos deuses e dos reis.

Escultura

A principal herança artística deste período, foi o monumento monolítico talhado em rocha de diorito, sobre o qual se dispõem 46 colunas de escrita cuneiforme acádia, com 281 leis em 3600 linhas. Estes escritos eram artigos que regularizavam a vida cotidiana, norteando deste modo, toda a sociedade. Na parte superior da escultura, Hamurabi é mostrado em frente ao trono do rei Sol Schamasch.
Uma das criações mais importantes do mundo, foi remetida deste período, o relógio de sol. Por volta de 5000 a.C., na Babilônia, surgiu a divisão do dia em 24horas. Eles dividiram a trajetória da sombra em 12 partes: seis antes do meio-dia (manhã) e seis após (tarde). Eis ai, uma das invenções mais marcantes para o planeta.
  

Bibliografia

http://pt.wikipedia.org/wiki/Babil%C3%B4nia
http://www.historiadomundo.com.br/babilonia/

http://www.socultura.com/index.php?option=com_content&view=article&id=148:a-antiga-babilonia-&catid=3:historia&Itemid=57

19 janeiro, 2014

A CENSURA NOS ANOS DE CHUMBO


 INTRODUÇÃO
Se atendo a circunstancias extraordinárias, o congresso decidiu colocar em vigor o projeto da Comissão Nacional da Verdade, em maio de 2012. Com duração de dois anos, a comissão terá como missão resgatar memórias de um passado não tão distante, compreendendo desde o ano de 1946 até 1988 (espaço de tempo em que o Brasil passou por fases críticas em seu regime político). Tendo em vista resolver as histórias inacabadas que, de certo modo, prendem as famílias esperançosas e confusas a um passado sangrento, sem justificativa e opressor, a presidenta Dilma Rousseff designou sete membros para fazer parte da Comissão da Verdade. Estes, escolhidos a dedo pela presidenta, buscarão contribuir com a historia do Brasil, e dar alguma paz para as famílias daqueles que “sumiram” em meio a tanto rebuliço, alguns, chamados de “presos políticos”, mesmo sem ter razão de ser.
Diferentemente da democracia vivenciada hoje na sociedade, os ideais de liberdade sempre foram brutalmente sufocados através da força imposta pelos grupos armados, que usurparam o governo de João Goulart, e reconfiguraram o regime político, impondo uma ditadura. Sobretudo, a investigação abrange o fim do Estado Novo, o Governo Dutra e a Ditadura Militar. 
A necessidade de aprofundar os conhecimentos deste tempo veio da liberação por parte da mídia, que mesmo massacrada e controlada nesta negra realidade, a todo custo tentava dar ares de futura liberdade e alertas aos grupos militantes que buscavam um espaço na sociedade. Afinal, apenas conseguir sobreviver era algo extraordinário.


AMÉRICA LATINA CONTRA A LEI DA ANISTIA
Devido à falta de direitos da Comissão da Verdade, de julgas os casos relacionados aos desaparecidos, alguns países acharam mais justo revogar Lei que os “protege” todos aqueles que já cometeram uma barbárie neste tempo. Tanto militares quanto militantes serão ouvidos e com base em um árduo trabalho de exploração de relatos e provas, os mesmos serão julgados. Por este e outro fator: a justiça, em parte dos países da América Latina a Lei da Anistia já foi revogada.

BOLÍVIA (1982)
• Primeira Comissão da Verdade da América Latina. Coletou testemunhos sobre 155 casos de desaparecimentos e localizou restos mortais de desaparecidos. A Comissão se dispersou sem apresentar um relatório final após três anos de atuação.

ARGENTINA (1983)
• A Comissão Nacional de Desaparecidos funcionou até 1984. Um relatório final, chamado “Nunca Más”, documentou cerca de 9 mil desaparecidos.
Em sete anos de ditadura, cerca de 30 mil pessoas desapareceram nas prisões clandestinas, e por volta de 500 crianças foram roubadas e entregues em adoção ilegal a repressores. O país lidera o triste ranking de vítimas da repressão do regime.

URUGUAI (1985)
• Entre 2000 e 2001, a Comissão de Investigação da Situação das Pessoas Desaparecidas e Suas Causas relatou 164 casos de desaparecimentos e apresentou evidências do envolvimento do Estado nos casos. Mesmo sendo um documento público, o relatório não foi distribuído.

CHILE (1986)
• A Comissão Nacional de Verdade e Reconciliação investigou 2,9 mil casos de desaparecimentos e mortos. Quase todas as recomendações do relatório final de 1990 foram concretizadas. Houve pedido de desculpas formal do Estado às vítimas e também às famílias. E ainda, foi criada uma Comissão para definir reparações financeiras. O Estado não se conforma com os tipos de retaliações exercidos, então, ao revogar a Anistia, houveram cassações inclusive à ex-Presidentes envolvidos.
  
A COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE
Por um criterioso sistema de relevância política, social e competência profissional, Dilma indicou os sete encabeçadores do processo de reformulação e investigação de uma parte da história do Brasil. Sem caráter de julgamento, a Comissão busca a mais de um ano em acervos de outros países também, quaisquer dados, informações e provas sobre o desaparecimento de tantos jovens, crianças e adultos. Devido às relações de internacionalização da repressão, os países ditatoriais mantinham total sigilo a cerca de registros para as condutas consideradas repressoras. Visto isso, a dificuldade de obtenção de provas e registros, tornou-se algo mais difícil de encontrar do que uma agulha no palheiro. E a situação só piorou, pois, a falta de registros na época estava causando um verdadeiro frenesi na população, então, como uma forma de controlar o povo, atestados de óbitos alterados foram muito utilizados.
Em contrapartida a criação desta Comissão para esclarecer os abusos cometidos em mais de 42 anos, o General da Reserva, Luiz Cardoso Rocha Paiva, declara ser contra ao modo de escolha dos membros “... Quase todos têm perfil ideológico de esquerda. O certo seria formar uma Comissão pluripartidária do Congresso, feita de acordo com votações no próprio Congresso. E não selecionados por um único indivíduo, neste caso, a presidenta Dilma.” – Comentou o General Cardoso, em debate no programa Sala Debate do canal Futura.
 Em outro momento do debate Rosa Maria Cardoso da Cunha, advogada e integrante da Comissão, expõe: “Não vejo o primeiro ano como algo que já podemos analisar como bom ou ruim, é um período de instalação. Uma assessoria já foi contratada, para auxiliar e agilizar as buscas. Também se fez necessária a parceria com outros ministérios, assim como a Comissão de Mortos e Desaparecidos e a Comissão da Anistia.”
Rosa Cunha também fala sobre o caso Vladimir Herzog (jornalista, morto em um quartel do exército em São Paulo. Herzog estava prestes a assumir a diretoria de jornalismo da Cultura, emissora do governo. Era militante comunista, mas não desenvolvia atividade clandestina. Sua morte ecoou no Brasil os gritos de desespero vindos dos porões da ditadura militar) ela conta que encontraram um processo já concluído a respeito da causa da morte e acontecimentos antecedentes, porém, a Comissão teve papel importante no final que foi dada a esta narrativa, visto que, conseguiram colocar as reais causas no atestado de óbito do jornalista, até então, constando como se ele tivesse cometido suicídio. Todavia, devido ao fato da Lei da Anistia, os crimes cometidos não poderão ir a julgamento.
Nessa o poder judiciário está fora, sobretudo, à medida que vão levar à mídia em um relatório público final haverá (com ou sem intenção) um linchamento público. Agora, 23 Comitês Estaduais da Verdade já foram instalados em todo Brasil.

OS MEMBROS DA COMISSÃO

GILSON DIPP
• Gaúcho de Passo Fundo, é ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Tribunal Superior Eleitoral. Foi corregedor do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) entre 2008 e 2010. Atualmente, também coordena um grupo de juristas que propõe reformas ao Código Penal.
CLÁUDIO FONTELES
• Foi procurador-geral da república entre 2003 e 2005, no início do governo Lula. Católico, propôs uma ação direta de inconstitucionalidade ao STF para impedir pesquisas células-tronco embrionárias. Foi derrotado.
PAULO SÉRGIO PINHEIRO
• Ex-secretário de Direitos Humanos no governo Fernando Henrique Cardoso. Foi indicado recentemente pela ONU para ser o relator de direitos humanos contra a população da Síria. Foi um dos fundadores do Núcleo de Violência da USP. É advogado e fez doutorado em ciência política na universidade de Paris.
MARIA RITA KEHL
• Psicóloga formada pela USP, atua como psicanalista, ensaíta e crítica literária. Foi editora do Jornal “Movimento” durante a ditadura, uma publicação que fez oposição ao regime de 64. Escreveu em vários jornais e revistas de circulação nacional, após a ditadura.
JOSÉ CARLOS DIAS
• Advogado criminalista, Dias foi ministro da Justiça em 1999 e 2000, no governo de Fernando Henrique Cardoso. Antes disso, foi secretário de Justiça de São Paulo na década de 1980, na gestão de Franco Montoro. Hoje é conselheiro da Comissão de Justiça e Paz e membro do conselho curador da fundação Padre Anchieta.  
ROSA MARIA CARDOSO DA CUNHA
• Foi advogada de Dilma Russeff durante a ditadura militar, Especializou-se na defesa de perseguidos políticos e atuou nos processos contra esses acusados no Superior Tribunal Militar (STM). Formada em Direito, fez doutorado em Ciência Política no Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj), nos anos 80.
JOSÉ PAULO CAVALCANTI FILHO
• É advogado e trabalha como consultor da Unesco e do Bando Mundial. Presidiu o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) entre 1985 e 1986 e foi ministro interino na Justiça no governo de José Sarney. É membro da Academia Pernambucana de Letras.


RESPOSTA DAS FORÇAS PARA A CRIAÇÃO DA COMISSÃO
Em resposta à criação da Comissão da Verdade, no dia 26 de maio de 2012, um grupo de oficiais das Forças Armadas fundou uma comissão paralela, que tem como finalidade rebater as acusações da Comissão Oficial que não considerem verdadeiras. Para a Comissão Paralela da Verdade, assim intitulada, foram designados sete oficiais, nomeados pelo Clube naval do Rio de Janeiro, para fazer parte desse grupo. A Comissão Paralela salientou o fato de que não produzirá relatório próprio, apenas irá rebater as acusações. E ainda, essa Comissão prestará acessória jurídica aos militares que prestarão depoimento na Comissão Oficial.

A PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF E O SEU PASSADO...

Mesmo hoje em dia sendo exemplo de mulher brasileira, a maior representante do poder feminino na política e com muitos eleitores. Dilma já teve uma fase muito negra nos anos de Chumbo. Envolvida em pelo menos dois grupos de combate ao regime Militar, a presidenta relata sobre, contando sobre quando foi capturada e teria sido, até mesmo torturada. O que muitos grupos opositores ao governo Dilma tem comentado por ai é a construção da “verdade” por meio de análise de apenas uma ótica. Deste modo, há um certo receio quando se diz respeito a reconstituição da história de acordo com os aspectos pré analisados e pós repassados. Encontrar a verdade histórica implicaria na chamada de historiadores para analisarmos em conjunto em que implicou cada delito cometido. Porém, não consta no escopo desta comissão. E as mesmas vão estar se dedicando apenas a uma parte a pagar. Outro fator um tanto quanto ludibriante pela parte da desconfiança dos opositores seria o caso do Assalto ao cofre de Governador Doutor Adhemar Pereira de Barros, crime que Dilma ajudou a organização a que fazia parte a fazer o plano. As criticas a implantação da Comissão da Verdade se multiplicam pela polêmica e pelo drama que à décadas esperam por respostas.

A CRIAÇÃO DA LEI DA ANISTIA (1979)


Esta lei, criada em um tempo de medo e opressão, foi mantida até os dias de hoje no Brasil. Ela tem como finalidade perdoar crimes cometidos pelos militares e militantes no decorrer da ditadura. Impedindo assim, a Comissão de julgar os crimes de tortura, homicídio, seqüestro, ocultação de cadáver e relacionados. Por ventura, vale salientar um certo descaso com aqueles que sofreram na mão de torturadores, impossibilitados de terem justiça. Ignorando a tortura e a as marcas emocionais e físicas, a Lei da Anistia estendeu a impunidade aos agentes do governo que praticavam uma série de barbaridades com os presos políticos e ainda, criou um empecilho para os Direitos Humanos.

CONCLUSÃO
A proposta da Comissão da Verdade é um tanto quanto errônea. Embasados num pensamento utópico de conseguir levar “paz” para os lares das crianças e adolescentes desaparecidos no período pré-estipulado para investigação nos remete a abrir os olhos quanto a uma verdadeira tentativa de tapar o sol com a peneira. Mesmo se tratando de um período intolerante da parte dos agentes do governo, pelo qual nosso país passou nos tempos de chumbo, os idealizadores do processo de investigação poderiam buscar brechas na lei para ter competência punitiva para aqueles que cometeram crimes. Nosso país deveria tomar como referência a Argentina, que revogou a Lei e uma das linhas de ação da justiça que foi a punição para pessoas que adotaram filhos de desaparecidos políticos (crime denunciado desde o início do regime, pelas avós da praça de maio). Graças a elas, 105 netos desaparecidos foram identificados.
Com relação a censura à imprensa e às manifestações artísticas e culturais, a perseguição parecia mais com uma animal feroz e faminto correndo atrás da sua caça, machucando e ferindo até ver o que sobrava. Aqueles que viveram naquele tempo com certeza tem memórias que não gostaria de ter nunca. E por mais difícil que possa parecer, mesmo assim a sede de mudança foi maior que a sede de sangue. Não encobrindo as barbáries que alguns grupos exclusos de manifestantes cometeram, motivados pela ira e pelo medo, os mesmos também devem pagar pelos atos cometidos. Chega a ser irônico as forçar armadas estando contra o povo, afinal, não foram essas que juraram nos proteger? 
  
A CENSURA MIDIÁTICA
A censura na mídia e a educação foram fatores que conseguiram controlar dois setores sociais: o de conhecimento e o de cunho informativo. Era mais do que o necessário para oprimir uma sociedade, auxiliando assim a consolidação dos militares no poder. A manipulação imposta por meio das forças armadas, atropelaram a justiça e os direitos humanos.

A CENSURA NAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS E CULTURAIS
Nos anos de chumbo foi instituído um código de processo penal, que permitiu que o exercito e a polícia tivessem o direito de prender pessoas consideradas suspeitas. Acarretando assim, no abuso do poder por meio destes.
Liberdade de expressão deixou de fazer parte do dia a dia dos cidadãos.
Centros de tortura foram instalados para acabar com os comportamentos considerados subversivos. Nos porões dos quartéis e até mesmo em instituições normais com porões disfarçados, acontecia o terror. Naquele momento, todos pediam para serem invisíveis, só assim, conseguiriam sobreviver...  
Por mais que parecesse uma utopia, os artistas incentivavam a população a buscarem algo mais na vida e utilizavam até mesmo suas canções como uma repressão ao regime ditatorial. Deste modo, conseguiram influenciar jovens a lutarem pela consolidação de direitos fundamentais, como a liberdade de expressão. Construir uma sociedade onde a justiça e a igualdade fossem a base não era um sonho excluso, e sim de toda a população que não aguentava mais aquela inquietante sofreguidão.
Saldo de proibições no regime militar:
- 500 filmes
- 450 peças teatrais
- 200 livros
- 500 músicas
Além de...
- 50.000 pessoas presas
- 20.000 torturadas
- 357 mortos




REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS



17 janeiro, 2014

IMPACTO DA COMUNICAÇÃO

IMPACTO DA COMUNICAÇÃO
Possíveis interferências (positivas e negativas) nas relações sociais diversas, a partir das relações nas redes sociais

INTRODUÇÃO
Em vias de estagnação sociocultural, emerge um fenômeno global, a mídia social. Sempre em busca de novos conceitos e amplitude social, o homem rebusca na selvageria do mundo moderno, novos pilares para manter seu egocentrismo. A necessidade de desafiar a si mesmo, e busca de coisas cada vez melhores e mais sofisticadas, deixa o homem perdido em meio aos novos padrões que invadem a sociedade como um trem. A globalização reestrutura o âmbito mundial de modo nunca visto antes, tendo repercussão nas áreas da economia, politica e sociedade. Com a disseminação deste ideal contemporâneo, a fragilidade da personalidade se vê instigada a superar suas próprias barreiras, sendo resultante em padrões atribuídos a indivíduos interculturais.

O MUNDO GLOBALIZADO
Definição:“É um conjunto de transformações na ordem política e econômica mundial que vem acontecendo nas últimas décadas. É um dos processos de aprofundamento da integração econômica, social, cultural e política.”

No cenário mundial, a globalização tem se mostrado a principal problemática às classes mais pobres. Também é responsável pelos altos indicies de desigualdade, decorridos do modelo econômico do mundo globalizado.Segundo Theodore Levitt, o termo globalização pode ser utilizado para indicar a difusão mundial das trocas e do consumo, e a união dos mercados.

Com o avanço tecnológico, a difusão mercantil teve como reação a invasão do comércio nas redes. Essas interações tecnológicas impulsionam a economia e criam novos modelos de comercialização. Deste modo, os mercados virtuais funcionam vinte e quatro horas por dia, facilitando a compra do cliente, e os proprietários por sua vez, tem a vantagem de não pagar taxas em cima dos produtos oferecidos e as despesas de uma loja física. Devido a isto, a criação de uma economia cibernética torna-se mundialmente poderosa.

Com o decorrer dos séculos, o parâmetro de riqueza está associado a diferentes domínios. Atualmente, o poder econômico é mensurado através do dinheiro virtual que você possui, ou seja, o dinheiro contido em bancos, ações, aplicações etc. Todos estes trabalham em função da cibereconomia, e os investimentos de risco por sua vez, são à base do capital especulativo (conhecido por sofrer variações abruptas em poucas horas) que é muito temido, pois exerce uma “tirania financeira”.

MÍDIAS SOCIAIS
Definição:“A mídia é uma expressão usada para designar os principais veículos de um determinado sistema de comunicação social.”

Com relação aos parâmetros teóricos da globalização, as redes sociais são responsáveis por definir os atuais padrões socioculturais, em decorrência de estarem inseridas no âmbito mundial. Apesar de serem vistas por alguns como perda de tempo, as redes sociais englobam uma porcentagem cada vez maior da população, com intuito de ampliar seu meio social, e também, facilitar a comunicação e diversificar os modos de interação. Visto por este ângulo, poderíamos dizer que estamos todos sendo manipulados por uma grande teia sistemática, tal que, a principal base de uma sociedade é a criação de laços entre os membros que fazem parte da mesma e as redes sociais influenciam significativamente no cotidiano dos indivíduos, muitas vezes, nos fazem descobrir interesses em comum com pessoas que não têm muita aproximação com você habitualmente. Então, seria essa uma solução para a dificuldade na comunicação social? Ou uma má influencia para os seres humanos acovardarem-se diante dos grupos sociais? E ainda, aqueles sem mente formada desenvolverem insegurança fisicamente e virtualmente, criarem um alter-ego imaginário, fazendo-os afastarem-se da realidade? São tantos questionamentos acerca deste tema, que a globalização nas mídias sociais de certo modo, pode ser vista como algo subjetivo para as massas culturais.Entre os principais formatos de mídia, podemos encontrar vários tipos de veiculações de informações, tendo em vista o alcance de diversas faixas etárias. Com utilização de linguagem simples, rápida e objetiva, as páginas de noticias no Facebook detêm milhares de seguidores, chegando a atingir públicos de outros países. Outro exemplo é o jornal, formato de mídia criado à um tempo considerável na sociedade. Este busca embasar seus conhecimentos em cada vez mais hipóteses que tornem a matéria mais completa, utiliza linguagem formal e têm alvo nas adultos.

E-COMMERCE
Com relação aos comércios online, vários receios começam a surgir. Em uma sociedade em que os padrões de riqueza são mensurados de acordo com o volume de capital que você consegue devolver, ou seja, dinheiro chama pessoas interesseiras e que não acrescentam em nada na tua vida. Com propostas de inovação e objetivo de reduzir os custos na compra do cliente final, as empresas desenvolveram um novo sistema para aquecer a economia e movimentar a compra e venda com mais agilidade. Com isso, os sites de compra coletiva, permitem os consumidores de adquirir mercadorias e serviços junto a um grande grupo, com descontos maiores em comparação das compras individuais.
A comodidade é o que rege a nova era do comercio. Em meio à falta de disponibilidade de tempo e da necessidade do mundo capitalista de obter cada vez mais lucro, o sistema capitalista impõe que o individuo viva em função do trabalho e gere cada vez mais dinheiro. Diferentemente dos centros comerciais físicos, as lojas virtuais proporcionam facilidade e rapidez aos compradores, contudo, não há mais aquela “magia” na escolha, visto que, você com apenas um clique uma brasileira compra uma roupa vinda de New York, sem custos de passagem, hospedagem e tempo.

SOCIEDADE
No estudo das ciências sociais, novos parâmetros estão sendo utilizados como fontes de pesquisa. Como fator “X”, pode ser destacado o estudo da sociedade global. Nesta, está compreendido o conceito da sociedade nacional. Entretanto, há uma diferença que faz com que todos os métodos adotados pelas ciências sociais sejam reanalisados para o mundo atual. Esta diferença é muito conhecida como globalização. O que difere das populações mais antigas é o fato de que nos primórdios da humanidade não havia muita interação entre os povos, oposto do que acontece nos dias de hoje. O estudo das agregações sociais eram feitos a partir de seus padrões singulares e suas peculiaridades de acordo com a região onde estavam localizados. Entretanto, os pesquisadores atualmente analisam as sociedades por parâmetros comparativos, fazendo relações interpessoais. Esta necessidade surgiu no momento em que a influencia toma conta de culturas já existentes, este é o resultado da globalização. Os meios sociais mais influentes tomam o “domínio” da situação, induzindo os demais povos há seguirem seus modelos estruturais, ou buscam oprimir as outras culturas ou modelos sociais. Com isso, a população evoluída é vista inserida em um único sistema social.O avanço da mídia social tem direta relação com a educação e influencia cultural na nova geração. E como escapar desse controle? O que muitos ainda não tem discernimento para compreender, está mais do que na cara da sociedade. Somos vítimas de manipulação por parte das mídias, em tudo que realizamos, desde a escolha do tapete até o medicamento prescrito. Com as redes sociais, esse sistema tornou-se cada vez mais bem elaborado e desenvolvido. Agora, o pensamento critico está cada vez mais difícil de encontrar nos “fantoches” moldados pelos processos de massificação.

TEIA CULTURAL
Com as mais variadas formas de cultura, a população influi diretamente nas características e convívios sociais e novos parâmetros de desenvolvimento sociocultural. As grandes gerações influenciam nos modelos a serem seguidos pelos demais grupos populacionais. As ramificações obedecem diretamente aos moldes sociais já implantados em outros territórios e que obtiveram saldos positivos. Sobretudo, a perda da identidade nacional de um país ou determinado grupo inserido nisto, é preocupante, tal que, as características de cada nação é única, pois, o passado nunca será o mesmo e as defasagens em determinados setores não são categóricos para todos. Com caráter duvidoso, o sensacionalismo exacerbado da imprensa torna o meio politico sujo. Com falta de ética e respeito aos cidadãos, a mídia não mede esforços para privilegiar partidos que injetem e prometam benefícios. E assim, a politica do país fica desmoralizada diante da população.

CONCLUSÃO
A identidade está em foco nas mídias sociais. O que muitos não levam em consideração ao falar sobre mídia é a caracterização e nossas identidades expostas da maneira mais sincera, até onde se tem conhecimento, ao mundo. E ainda, a busca por novos atribuintesà ela. Se colocarmos um paradigma social para estudar o mundo e suas relações sociais, vamos perceber que com o avanço das mídias, as pessoas têm sentido uma necessidade cada vez maior de ser “parte de algo”. Hoje em dia, não é só a aparência física que nos define... A realidade se mostra de uma forma totalmente nova e por um ângulo até certo ponto, inovador. Os processos tecnológicos descritos no desenvolvimento resultaram para os indivíduos como parte de uma personalidade, capaz de ser descrita e alterada ao passo que, você tem algo novo a acrescentar acerca do seu modo de pensar. Nos dias de hoje, a aproximação de comunidades mundiais trouxe novas tendências e influencias as culturas locais, deixando como encargo pessoal, você conhecer o mundo em um clique! E ainda, conversar e compartilhar interesses com pessoas que você nunca pensou que poderia conhecer, tudo isso sem sair de casa. Com esta “lacuna” aberta tornando a compreensão humana tornou-se subjetiva, as pessoas estão desenvolvendo uma capacidade muito maior na interação com seu corpo e sua mente. Visto isso, limitar as fronteiras culturais se tornou “coisa do passado” para o homem moderno. Tal que, as barreiras geográficas e sociais não detêm mas o avanço da sociedade global.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

GEOGRAFIA GERAL - 5ª- Lygia Terra e Marcos Amorim Coelho
GEOGRAFIA DO BRASIL, espaço natural territorial e socioeconômico brasileiro - Lygia Terra, Marcos de Amorim Coelho
GEOGRAFIA ENSINO MÉDIO VOL. ÚNICO -João Carlos Moreira e Eustáquio de Sene.
TERRITÓRIO E SOCIEDADE NO MUNDO GLOBALIZADO: Geografia Geral e do Brasil - Lucci, Elian.
GEOGRAFIA GERAL: O espaço natural e socioeconômico - Marcos de Amorim Coelho.
http://www.domtotal.com/colunas/detalhes.php?artId=1267
http://www.frigoletto.com.br/GeoEcon/Global/poder.htm
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-40141994000200009&script=sci_arttext
http://www.sitedaescola.com/downloads/portal_aluno/Maio/Redes%20sociais%20na%20internet-%20desafios%20%E0%20pesquisa.pdf
http://h30458.www3.hp.com/br/ptb/smb/941786.html
http://www.slideshare.net/dalialopes/redes-sociais-4432337
http://ogestor.eti.br/o-que-sao-redes-sociais/
http://www.natanaeloliveira.com.br/o-que-sao-as-redes-sociais-na-internet/
http://pt.scribd.com/doc/50555893/Os-efeitos-da-globalizacao
http://expansao.sapo.ao/home/opiniao/manuel_alves_da_rocha/os_efeitos_da_globalizacao_economica


15 janeiro, 2014

Câncer de Mama


Introdução:

Nos últimos vinte anos a taxa bruta de mortalidade por conta do câncer de mama elevou-se a 68% apresentando a maior causa de óbitos por câncer na população feminina do Brasil, que geralmente aparece na faixa etária entre os 40 e 69 anos.
Embora 80% dos tumores podem ser identificados pela própria mulher quando apalpa suas mamas, o que na maioria das vezes dificulta o tratamento clínico  é que 50% dos casos são descobertos em estágios avançados, o que gera às vezes um tratamento mutilaste.

Em seus efeitos psicológicos, o câncer afeta a percepção da sexualidade e a imagem pessoal que a mulher tem de si. O Instituto Nacional do Câncer acredita que o auto-exame realizado pelas mulheres na região mamária faça parte de uma educação que visa ao conhecimento do próprio corpo e de uma preocupação positiva com a saúde feminina.

O que é câncer de mama?
O câncer de mama propriamente dito é um tumor maligno. Isso quer dizer que o câncer de mama é originado por uma multiplicação exagerada e desordenada de células, que formam um tumor. O tumor é chamado de maligno quando suas células tem a capacidade de originar metástases, ou seja, invadir outras células sadias à sua volta. Se estas células chamadas malignas caírem na circulação sangüínea, podem chegar a outras partes do corpo, invadindo outras células sadias e originando novos tumores.
Os tumores benignos, não possuem essa capacidade.
A grande maioria dos nódulos que aparecem nessa região é benigna, como os cistos e os fibroamentos, que são totalmente tratáveis. Os tumores benignos não se transformam em câncer. O câncer de mama é tratável em alguns casos, a chave da sobrevivência ao câncer é a descoberta precoce, no inicio da formação do nódulo e o tratamento imediato. Mesmo com o descobrimento precoce do câncer e tratamento se aperfeiçoando cada dia mais em busca de “curas” mais duradouras e eficazes contra o câncer, essa doença é a terceira maior causa de morte para mulheres no EUA,  A causa do câncer de mama, até hoje não foi descoberta, menos comum, homens também podem desenvolver a doença.
 Algumas pessoas têm mais tendências a desenvolver câncer, principalmente quando apresentam fatores como:
- Ter mãe ou irmã com câncer de mama
- Nunca ter tido filhos
- Ter tido o primeiro filho após os 30 anos
- Histórico de exposição a radiação
- Obesidade
- Fumar
- Terapia hormonal
- Uso excessivo do álcool
- Ferimentos no seio

Sintomas
Na maioria das vezes o primeiro sinal é um pequeno nódulo no seio, que normalmente é indolor e pode crescer lenta ou rapidamente.

Outros sintomas:
- Mudança de cor, reentrâncias, enrugamentos, ou elevações da pele em uma área do seio.
- Uma mudança do tamanho ou formato do seio
- Secreção no bico do seio
- Um ou mais nódulos nas axilas

Prevenção
- Fazer um auto-exame mensal
- Fazer exame médico pelo menos uma vez ao ano
- Fazer uma mamografia entre 35 a 39 anos de idade.

A partir daí, após os 40 a cada 1 ou 2 anos, de acordo  com o programa recomendado pelo seu médico. A partir dos 50 anos, você deve fazer uma mamografia a cada ano. Se você apresentar características de alto risco de câncer de mama, você deve começar a fazer mamografias regulares aos 35 anos ou menos.

Não ignore um nódulo ou mudança na aparência ou sensação do seio. Lembre-se que o tumor cancerígeno é normalmente indolor.

Auto-exame
Um dos objetivos do auto-exame é causar na mulher um conhecimento mais detalhado e profundo do seu corpo. Quanto mais as mulheres fizerem o auto-exame regular, mais o câncer será constatado prematuramente. Como a mamografia e outras tecnologias aperfeiçoam-se, o câncer tem sido detectado antes mesmo de sua existência ser sentida ou suspeita. Detecção prematura aumenta grandemente as chances de sobrevivência e facilitam o êxito do tratamento.
Entre as técnicas para o auto-exame, uma das mais citadas é a que deve ser realizada em frente de um espelho. Sem roupa, a mulher, antes do banho, posiciona-se em frente do objeto e observa seus dois seios, primeiramente com os braços ao longo do corpo e depois com suas mãos na cintura fazendo força nelas e, depois, com as mãos atrás da cabeça, observando tamanho, posição, forma da pele, aréola e mamilo, sendo que o controle precisa ser repetido com os braços levantados e mantidos por detrás da cabeça da mulher. Nessa percepção, a mulher deve notar qualquer alteração na superfície dos seios, como alguma depressão ou saliência ou rugosidade. Ainda no espelho, os autores aconselham que ela pressione suavemente o mamilo para verificar se dá saída de qualquer líquido. Deve notar se o mamilo estiver para dentro como acontece com o umbigo e se não era assim antes. A técnica também pode ser realizada de pé e deitada, onde a mulher apalpará a região de seus seios com movimentos circulares.

Nas três situações, o auto-exame precisa ser feito regularmente (alguns autores aconselham a cada mês). Caso a mulher venha a notar qualquer alteração antes de seu período de menstruação, precisa voltar a repetir o auto-exame mesmo depois deste período. Caso a alteração persista, o aconselhado é procurar um médico e esclarecer dúvidas. Com a vinda da menopausa, precisará ser definido um dia do mês a se realizar o auto-exame sempre entre um intervalo de 30 dias.


  
Diagnostico

Lutamos diariamente para sobreviver a vários problemas e doença. Mas, alguns às vezes não levam a sério o suficiente a prevenção para a maioria das doenças mais perigosas. O câncer de mama continua a ser um grande mistério, a respeito de sua causa e fatos que o originam, por isso, devemos ter mais cautela quanto a aparecimento de qualquer nódulo no seio.
A avaliação dos nódulos que aparecem podem ser através de:
- Uma mamografia
- Uma biópsia de agulha ou cirúrgica
- Exame médico
Além de exames médicos, deve-se fazer o auto-exame mensalmente.

A mamografia:
Entrou em vigor, em 29 de abril de 2009, que todas as mulheres podem realizar a mamografia no sistema Único de Saúde – SUS. Embora o auto-exame seja fundamental na saúde feminina, é aconselhável que cada ano a mulher passe pela mamografia, que é único exame que permite ao médico detectar alterações mínimas e revelar nódulos que não serão perceptíveis através da palpação. A mamografia é um exame simples, com aparelhos de Raios-X especialmente desenvolvidos para isso, onde a mulher coloca os seios entre duas placas de acrílico, que irão comprimir um pouco a mama. A compressão da mama é o requisito essencial para o sucesso do exame, portanto, deve-se evitar o período anterior ao da menstruação, quando as mamas ficam um pouco doloridas, o que causará certo incômodo na hora do exame. Recomenda-se que ele seja feito aproximadamente uma semana após  período menstrual. A titulo preventivo, esse exame deverá ser eito anualmente a partir dos 50 anos, ou , se houver casos na família, desde os 40 anos de idade. O exame não é prejudicial à saúde, sendo que a radiação recebida é pouco maior do que a de uma radiografia dos pulmões.

A biópsia:
Esse exame consiste numa pequena cirurgia destinada a retirar um pedaço do nódulo suspeito, ou mesmo o nódulo inteiro, para que seja analisado.
Se fizer uma biópsia de agulha (também camada de aspiração de agulha), primeiramente será aplicada uma anestesia local para adormecer a área do seio que será analisada. Então o médico insere uma agulha dentro d nódulo e retira o fluido ou tecido dele. Se o fluido completar a agulha, o nódulo é um cisto de fluido e não câncer. Remover o fluido também faz o nódulo desaparecer. O tecido retirado pela agulha será examinado no laboratório.

Se fizer biópsia cirúrgica, será aplicada uma anestesia local por seu médico que fará um corte no seio e removerá nódulo. Este tecido será examinado através de um microscópio. Um teste receptor de estrogênio (ER) poderá ser feito com a amostra da biópsia para ver se os hormônios promoveram o crescimento do tecido cancerígeno. Um nódulo linfático pode ser removido das axilas para que se verifique se o câncer estendeu-se além do seio.

O exame médico:
A cada seis meses, a mulher deve se submeter a um exame de rotina com o ginecologista, que se tiver alguma dúvida ou suspeita, deverá encaminhá-la ao mastologista, que é um médico especializado em doenças das mamas.
O Instituto Nacional do Câncer no Brasil recomenda que o auto-exame não deve substituir o exame clínico de mama, que é realizado pelo médico especializado (geralmente o ginecologista).

Tratamento

 

Ninguém permanece o mesmo depois da experiência do câncer. Só quem viveu o terremoto emocional criado pela doença sabe o que é agarrar-se a qualquer esperança na expectativa de uma segunda chance.

 

São varias as etapas e prescrições para cada tipo de câncer e podem ser usadas associadas, conforme cada caso.


Cirurgia - A retirada do tumor cirurgicamente, normalmente retirando, também, o seio.


Radioterapia - método capaz de destruir células tumorais, empregando feixe de radiações ionizantes.


Quimioterapia - uso de drogas especificas para destruir as células tumorais.

Nas ultimas décadas muitos medicamentos surgiram para combater esta doença, que quando diagnosticada em sua fase inicial oferece grandes chances de cura.

Em muitas das pacientes que passaram da menopausa, o tratamento inclui, também, hormonoterapia. Ela é empregada quando o tumor depende do estrógeno para crescer.

O remédio mais utilizado para reprimir a ação do hormônio sobre as células malignas é o Tamoxifeno.
Mas os inibidores de aromatase, drogas mais modernas que bloqueiam a enzima responsável pela síntese do estrógeno, vêm demonstrando desempenho superior. Um estudo internacional com 8 mil mulheres revelou que o risco de recorrência da doença é 19% menor entre as que usam o Femara (letrozol), da Novartis, que nas tratadas com TAMOXIFENO.
A incidência de metástases em pontos distantes do organismo também foi reduzida em 27% nas que receberam o remédio mais moderno.
O Arimidex (anastrozol), da AstraZeneca, outro inibidor de aromatase, tem resultados semelhantes quando comparado ao medicamento-padrão: redução de 21% no risco de recorrência da doença e de 14% no aparecimento de metástases.

''O tamoxifeno ainda não é obsoleto, mas seu papel no tratamento do câncer de mama deve ser cada vez mais limitado'', explica Beat J. Thürlimann, do International Breast Cancer Study Group. O preço determina quem vai se beneficiar dos avanços. Os inibidores de aromatase podem custar oito vezes mais que o tamoxifeno, hoje vendido até como genérico.
Mudanças no estilo de vida também combatem o reaparecimento da doença. Pela primeira vez um estudo - do Los Angeles Biomedical Research Institute - comprovou que uma dieta pobre em gordura (33 gramas ao dia) reduz em 24% o risco de recorrência da doença em mulheres na pós-menopausa que tiveram tumor de mama extraído em fase inicial e passaram pelo tratamento-padrão. 

O HERCEPTIN, da Roche, cuja designação genérica é trastuzumab, é eficaz contra os cânceres da mama, na fase inicial de evolução, tornados particularmente agressivos pela proteína HER2, que este medicamento neutraliza.

Segundo os peritos, o Herceptin poderá ser o medicamento mais importante contra esta doença desde o aparecimento do Tamoxifen, que veio revolucionar o tratamento ao centrar os seus efeitos nas células cancerígenas, sem alterar as saudáveis. O medicamento Herceptin reduziu em quase 50% o reaparecimento de casos de câncer da mama, detectados na fase inicial, mas particularmente agressivos.

Infelizmente, o grande complicador no combate a doença está no preço dos medicamentos. O Herceptin, por exemplo, cada embalagem com um frasco multidose de 440mg de pó concentrado de trastuzumab solução para infusão, custa atualmente (2010) R$ 12.471,38  e não se encontra disponível na rede publica.

Outro complicador dos tratamentos

Cada vez mais a abordagem do câncer envolve vários profissionais que nem sempre têm a mesma opinião e não é raro ver pacientes transformados em reféns de uma guerra de egos que pode pôr tudo a perder. Muitos médicos não estão preparados para lidar com as próprias inseguranças ou com as de seus pacientes.
Pesquisa da Fundação Lance Armstrong (o ciclista campeão que teve câncer de testículo) com mil sobreviventes da doença revela que 70% deles consideram os médicos incapazes de valorizar efeitos psicossociais relacionados à doença. Embora a maioria dos pacientes tenha enfrentado depressão, medo de recaídas e perda de libido, poucos oncologistas levaram esses problemas em consideração. ''Todo câncer sobe para a cabeça'', diz o mineiro Maurício Lara, de 52 anos, ex-assessor do ministro Luiz Gushiken, que descobriu um tumor na próstata no ano passado e conta sua experiência no livro Com Todas as Letras (editora Record). Encomendou uma pesquisa em Belo Horizonte com 60 pessoas de todos os níveis socioculturais para entender que imagem os indivíduos saudáveis fazem da doença. Encontrou muito estigma, como se a palavra câncer ainda fosse impronunciável e sinônimo de morte. 

Dez mandamentos para evitar o câncer


1) Pare de fumar. O cigarro é responsável por 30% dos casos de câncer

2) Alimente-se bem. Uma dieta saudável reduz em 40% o risco de a doença surgir. Coma mais frutas, legumes e cereais e menos carnes e alimentos gordurosos

3) Limite a ingestão de bebidas alcoólicas. Não ultrapasse um ou dois drinques por dia

4) Pratique atividade física cinco vezes por semana por pelo menos 30 minutos

5) Mulheres acima de 40 anos devem fazer mamografia anualmente

6) O exame preventivo do câncer do colo do útero (papanicolau) deve ser feito todos os anos

7) Depois dos 50 anos, homens e mulheres devem realizar exames de detecção precoce de câncer de intestino

8) Homens acima de 50 anos devem passar por exames preventivos do câncer de próstata

9) Evite a exposição prolongada ao sol. Use filtro com protetor solar fator 15 ou superior

10) Examine regularmente a boca e a pele e procure o médico em caso de alterações


Fonte: Cancer Free: The Comprehensive Cancer Prevention Program

13 janeiro, 2014

Basquete

Objetivo
Duas equipes, com cinco pessoas cada, disputam a posse da bola para fazer pontos na cesta do adversário;
A equipe tem de impedir que o grupo oponente faça pontos;
O time vencedor é o que fizer o maior número de pontos ao final do tempo de jogo.

Como funciona
A quadra de basquete tem 26 metros de comprimento por 14 metros de largura;
As cestas ficam fixadas em estruturas a 3,05 metros do chão nas extremidades da quadra;
Cada partida é dividida em quatro tempos com 10 minutos cada;
Cada time tem o limite de 24 segundos para arremessar a bola. Se estourar o tempo, a bola passa automaticamente para o time oponente;
Quando a bola cai na cesta do campo adversário, o time ganha 2 pontos;

Se o arremesso for feito antes da linha situada a 6,2 metros da cesta, ganha 3 pontos;
Sempre que uma bola ficar presa no suporte do cesto, o jogo recomeçará com uma bola ao ar;
Os técnicos podem pedir tempo (de 1 minuto) uma vez por período, com exceção do 4º tempo, quando podem pedir duas vezes;
Não é permitido: 
correr com a bola, pontapeá-la ou socá-la. 
parar ou bater deliberadamente a bola com qualquer parte da perna. 
ao time que ataca retornar à sua metade da quadra após pisar no terreno do adversário.

Faltas
No basquete há limite de faltas por equipe e por jogador. A partir da sétima falta coletiva acumulada por uma equipe, o adversário tem direito a um arremesso livre a cada nova infração. Se acertar, a cesta vale 1 ponto e o jogador pode arremessar novamente. Se errar, a bola volta ao jogo;
A cada 4 faltas, o time ganha uma falta coletiva;
Dar três passos sem bater a bola ou segurá-la por mais de 5 segundos é considerado falta, assim como tocar a bola com a perna ou impedir o movimento do adversário;
Quando um jogador faz cinco faltas, é desclassificado, mas pode ser substituído;
A partir da 4 falta sempre que a equipe cometer falta, a equipe adversária terá direito a 2 lances livres a cada falta cometida. 


12 janeiro, 2014

SENAI - cursos gratuitos

ÁREAS DE ATUAÇÃO
1 Educação Profissional

1.1 Nível Técnico
O SENAI Pernambuco oferece Cursos Técnicos em 20 habilitações à sua escolha e dirigidos para públicos distintos:

- Cursos diurnos Gratuitos para jovens até 21 anos e que estejam matriculados na primeira ou segunda série do Ensino Médio no ano de início do curso.

- Cursos noturnos Gratuitos sem limite de idade, para pessoas que tenham concluído o Ensino Médio.

- Cursos pagos abertos ao público em geral ou fechados para empresas e trabalhadores que tenham Ensino Médio concluído. O horário desses cursos pode ser adequado às necessidades dos alunos.

As modalidades são:

• Administração Empresarial
• Alimentos
• Automação Industrial
• Edificações
• Eletromecânica
• Eletrônica
• Eletrotécnica
• Gestão de Processos Industriais - Gesso
• Logística
• Manutenção Automotiva
• Produção de Moda
• Química
• Redes de Computadores
• Refrigeração e Climatização
• Segurança do Trabalho
• Sistemas à Gás
• Soldagem
• Telecomunicações
• Têxtil
• Vestuário

1.2 Nível Básico

O SENAI oferece 76 títulos de Cursos de Qualificação Básica e 299 de Aperfeiçoamento Profissional em 16 áreas indicadas a seguir. Os Cursos de Qualificação dão direito a um Certificado de Qualificação Profissional e os Cursos de Aperfeiçoamento dão direito a um Certificado de Presença.

A oferta se dá ao público em geral através de matrícula na própria Escola ou através de programas públicos de formação de mão de obra.

• Alimentos e Bebidas
• Automação Industrial
• Automotiva
• Construção
• Eletroeletrônica
• Gestão
• Madeira e Mobiliário
• Meio Ambiente
• Metalmecânica
• Química
• Refrigeração e Climatização
• Segurança do Trabalho
• Tecnologia da Informação
• Telecomunicações
• Têxtil e Vestuário
• Transportes

Acesse a pagina do Cronograma dos Cursos.

Seguidores